CÍRCULO DE GIZ             REVISTA MULTIDISCIPLINAR DE ARTES E HUMANIDADES            ISSN 2696-9020

SUMÁRIO

(acesse o pdf do texto clicando no título)

Editorial:

"O deserto cresce. Ai de quem dá abrigo a desertos!"

Teoria & Crítica

Anarquia do poder: Salò, ou os 120 dias de Sodoma, de Pier Paolo Pasolini

Rosane Barata

Resumo: No presente artigo discute-se o conceito de biopolítica, na concepção de Giorgio Agamben, com o mesmo conceito em Michel Foucault, a fim de compreender a zona de anomia, em que se instaura a anarquia do poder no filme Salò, ou os 120 dias de Sodoma, de Pier Paolo Pasolini, adaptação do romance do Marquês de Sade. Nesse filme Pasolini transpõe em imagens o universo de Sade, mantendo-se fiel ao espírito dos personagens e, simultaneamente, localizando a história no território concedido a Mussolini por Hitler, a república de Salò, onde o fascismo resistiu de 1943 a 1945.
Palavras-Chave: Biopolítica; Anarquia do Poder; Pasolini; Salò.

Marguerite Duras e o cinema: uma trama de voz permanente

Danielle Curi

Resumo: Ao enveredar-se pela arte do cinema, Marguerite Duras lança mão do recurso das vozes em off em praticamente todos os seus filmes, chegando, por fim, a acrescentar sua própria voz como “presença” nas locuções. A partir de tal constatação, o presente artigo visa articular o uso que a autora faz da voz nessa linguagem artística – entendido aqui como uma maneira de lidar com a angústia e o real em jogo –, e objeto a vocal como teorizado por Lacan sobretudo no início da década de 1960.
Palavras-chave: Angústia; Objeto Voz; Cinema; Marguerite Duras.

Mergulhando nos cinemas africanos durante a pandemia

Camila Rodrigues

Resumo: No primeiro semestre de 2020, com a quarentena devido à pandemia de Covid19, o Cine África disponibilizou, no YouTube, uma seleção gratuita de onze filmes e debates com diretores e pesquisadores, com o objetivo de apresentar e ampliar nosso repertório sobre esta cinematografia. Essas questões são o assunto deste texto.
Palavras chave: Cine África; Cinemas Africanos; Pandemia; Quarentena.

A ideia de família e o efeito Lars von Trier

Loren Costa

Resumo: O artigo pretende lançar o conceito de família e de complexo de Édipo e propor que trata-se menos dos lugares imaginariamente ocupados (pai e mãe) e mais de um significante que estrutura e permite a identificação. Ao fazermos uma breve investigação da biografia do diretor Lars von Trier, percebemos esse limiar entre uma família composta e a necessidade de identificar-se a um significante que lhe dê pertencimento familiar.

Palavras-chave: Família; Complexo de Édipo; Lars von Trier; Significante.

Notas breves sobre história epistemológica da psicanálise e sua relação com a neuro ciência

Alexandre Magno Teixeira de Carvalho

Resumo: No intuito de oferecer a estudantes e profissionais um material sucinto sobre alguns aspectos críticos e epistemológicos da história da psicanálise, este trabalho apresenta uma visada breve e original da ruptura epistemológica que a obra de Sigmund Freud e o advento da psicanálise promoveram no campo da psiquiatria e da psicologia na aurora do século XX, passando pela problemática da relação da psicanálise com a neurociência. O corpo do texto se divide em ‘A escalada freudiana de obstáculos epistemológicos em movimento de suprassunção (Aufheben; dépassement)’; ‘Psicanálise e neurociência: um diálogo possível?’ e ‘A psicanálise resiste?’. Trabalho parcial de conclusão de Estágio de Pós doutoramento no PPG em Teoria Psicanalítica da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Linha de pesquisa: Fundamentos históricos e teóricos da Psicanálise. Supervisão do Professor Joel Birman).

Palavras-chave: Psicanálise; Sigmund Freud; História Epistemológica; Relação Psicanálise e Neurociência.

Tabu de canhoto: ou Sobre a autocensura de esquerda (no Brasil)

Marcelo Fonseca

Resumo: O escrito que segue parte da reflexão acerca da resistência de fatia significativa da esquerda brasileira ao exercício da violência como eventual possibilidade de prática política. As considerações partem do escrito de Walter Benjamin intitulado “Para uma crítica do poder como violência” e avança imediatamente para a reflexão acerca das relações entre poder e violência mediante o contexto brasileiro, particularmente marcado pela herança colonial.

Palavras-Chave: Poder como Violência; Esquerda; Estado de Direito; Colonialismo.

Estado de exceção como paradigma de governo e o reverso da Revolta da Vacina

Marcos Antônio de Azevedo Monteiro

Resumo: Este artigo tem como meta situar o conceito de “estado de exceção” baseado na obra do mesmo nome, de Giorgio Agamben, destacando o estado de exceção como paradigma de governo. A seguir aproximar este ideário do contexto que antecedeu a Revolta da Vacina na cidade do Rio de Janeiro em 1904 e da própria Revolta em si. Para isso utilizamos também a obra A Revolta da Vacina: mentes insanas em corpos rebeldes, de Nicolau Sevcenko. E por último sublinhar no romance Recordações do Escrivão Isaías Caminha, no Diário Íntimo e em Toda Crônica, de Lima Barreto, a eclosão da Revolta e o estado de vida da horda de deserdados no Rio de Janeiro, capital da exclusão, na Primeira República.

Palavras-chave: Estado de Exceção; Revolta da Vacina; Lima Barreto; Primeira República.

Quem é Xica da Silva? Lastros de uma incorporação no carnaval carioca

Leonardo Antan

Resumo: Em um caminho, a complexa construção de uma mulher negra que virou mito da cultura nacional. Nele percorrem Xica da Silva, sua imagem, seus atravessamentos e suas aproximações com a cultura afro-brasileira, sobretudo na proximidade da personagem com a entidade pomba-gira. Na transversal, um desfile de escola de samba realizado em meio a fortes transformações da folia carioca. A convergência entre esses assuntos se dá pela incorporação da personagem Xica da Silva pela destaque Isabel Valença, no desfile do GRES Acadêmicos do Salgueiro. Alinhavado por uma série de mudanças na linguagem das escolas de samba e seu processo de popularização na década de 1960, culminou na difusão de Xica como alegoria histórica, política e cultural brasileira.

Palavras-chave: Escola de Samba; Xica da Silva; Pombagira.

Internacionalismo e latino-americanismo na crítica de arte: atuação de Mário Pedrosa no Instituto de Arte Latino-Americana

Luiza Mader Paladino

Resumo: Este artigo reflete sobre a contribuição de Mário Pedrosa em instituições culturais chilenas, durante o exílio no país andino, com foco no Instituto de Arte Latino-Americana. Essa entidade, criada em 1970, foi essencial para aprofundar o debate sobre arte e cultura produzidas no continente, por meio de uma ampla programação de exposições, publicações e congressos que fortaleceram uma rede de intelectuais alinhados com a pauta latino-americanista. Busca-se compreender o papel de Pedrosa nessa instituição e o diálogo estabelecido com artistas e críticos da região.

Palavras-chave: Mário Pedrosa; Instituto de Arte Latino-Americana; Arte latino-americana; Unidade Popular, exílio.

Mirar para ver: visualidade, perspectiva e enquadramento na obra de Regina José Galindo

Tadeu Ribeiro Rodrigues

Resumo: Este artigo busca explorar relações entre as noções de visualidade, perspectiva e enquadramento na obra da artista guatemalteca Regina José Galindo. A partir de três trabalhos apresentados em 2017 na Documenta 14, em Kassel (Alemanha) e Atenas (Grécia), propusemos uma articulação teórica entre a instauração de um regime escópico hegemônico no Renascimento Italiano e a fundação de um dispositivo de visualidade que ratifica os discursos da colonialidade através do enquadramento dos corpos. Tal estrutura de olhar (e ser olhado) que fundamenta a modernidade europeia – denominada ora “perspectivismo cartesiano”, ora “perspectiva artificial” – opera como recorte de um plano de superfície sobre o qual, a partir de um ponto observador (que busca se naturalizar como neutro), o objeto/corpo é inscrito. Nesse sentido, a poética de Galindo tensiona as relações entre os países europeus ditos desenvolvidos e a América Latina a partir do comércio de armas de fogo, utilizando-se da mira de fuzis e tanques de guerra produzidos na Alemanha (e comercializados para economias periféricas) para refletir acerca da dinâmica predatória e da violência sistêmica que determina a cartografia pós-colonial.
Palavras-chave: visualidade; perspectiva; enquadramento; corpo.

Arte & Linguagens

Outras ordens de acoplamento

Entrevista com Ricardo Basbaum

RESUMO: Entrevista com Ricardo Basbaum, realizada por Ana Elisa Lidizia e Clara Machado, acerca da elaboração e implicações dos diagramas produzidos pelo artista-etc. A entrevista ocorreu virtualmente no dia 17 de junho de 2021.

Palavras-chave: Ricardo Basbaum; Diagramas; Cartografia; Palavra e Imagem.

Um deus deixou cair uma xícara no chão

Érica Magalhães

Resumo:  Este artigo relaciona o conceito universal de “entropia” e sua manifestação na vida cotidiana, quebrando as xícaras e pires das mesas de café. Aborda o sentimento de perda no momento dessa quebra, bem como os ecos desse sentimento em nosso desejo de permanecer. Trata dessa tensão que as porcelanas carregam consigo, sempre prestes a estilhaçar, e como esta propensão ao dilaceramento é trabalhada em minhas esculturas. Aborda a construção de duas de minhas esculturas e como os acidentes deram a elas um caráter particular. Relaciona os conceitos de “caráter destrutivo”, de Walter Benjamin, e “destruições sucessivas”, de Georges Bataille, aos acidentes de ateliê, momento em que a falha precisa ser tratada através do olhar.

Palavras-chave: Escultura; Entropia; Acidentes; Porcelana; Artes Visuais.

Natureza, Nature, Shizen... até quando deixaremos de traduzi-la

Anaïs-Karenin

Resumo: O artigo discorre sobre a “natureza” como terminologia, criando um paralelo com a versão japonesa da palavra, “shizen”. A partir de análises sobre Satoyama e os artistas Kishio Suga, integrante do Mono-ha, e Takesada Matsutani, integrante do Gutai Bijutsu Kyokai, indica possibilidades de leituras não duais sobre a “natureza”.
Palavras-chave: Natureza; Shizen; Satoyama.

1,25 mg

Catarina Runas Pontes e Jonathan Nicolas Ramos Dias

Eu nunca viajei solo. E logo na minha primeira viagem, antes de sair de casa me arrumei um torcicolo. Existem coisas bem chatas nesta vida e uma delas são os torcicolos. Isto me fez providenciar colocar na mala imediatamente uma pasta de sebo de carneiro. Foi um destes mimos bons que um grande amigo e professor me ofereceu, certa vez quando estive em sua casa para as tradicionais orientações de pesquisa. Assim como, para lhe ouvir falar sobre estas e tantas outras coisas, como, o quanto são eficazes para os tais mal jeitos musculares esta pasta produzida diretamente do sebo do carneiro. Se você já se deparou com aqueles cremes, do tipo vendidos em farmácias ou lojas cosméticas, que dizem ser feitos à base de sebos de carneiros, não se iluda ou perca seu tempo. Ou melhor, seu dinheiro. E a propósito os vidros são verde-escuro [...].

Quatro poemas

Jorge Barbosa

Poemas inéditos de Jorge Barbosa Filho (Jorge do Irajá): Tarde demais, Diamante, Escombros, O cu do mundo.

Do banto a Brecht

Alexandre Magno Teixeira de Carvalho e Diogo Cesar Nunes

Proto-psicografia poética, macumba rara, coletiva - sabe-se-lá com quantos, dentre tantos, e quando.